frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

domingo, 5 de fevereiro de 2017

APENAS EU E A POESIA



No início ainda não havia 
Nem um céu nem uma terra 
E eu nem sabia 
Se um dia
Haveria primavera.

E nem existia ainda 
O desejo primeiro 
De um sonho derradeiro
E da última letra caída
Não havia rumores ...
E eu só conhecia dores

Nesse universo
Tão complexo,
Apenas havia
Eu e a poesia...

Era ainda um “ Eu” desintegrado 
Um fundo que me engolia
De um verbo mal conjugado
Num tempo que eu não mais queria...

(NLC Poesias )

3 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Amei!

Beijinho e bom Domingo

SOLIDARIEDADE disse...

Uma beleza ... poema afrodisíaco e centrípeto.

Um abraço, N.

Lucas Santos disse...

Venho com alegria me deliciar com teus versos... Tu sabes muito bem como me prender... Saio daqui todo feliz, confesso ... Amável querida musa da poesia, mil aplausos deixo e um meu beijo para você... Tu tens uma linda alma poética amguinha... Parabéns !