frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

sexta-feira, 10 de março de 2017

VERSOS DE NÓS DOIS






Poetizo a saudade: em teu corpo me encontro
entre versos me exponho ao teu suave prazer
 e a poesia que invade são teus lábios (meu sonho)
deslizando nas tardes do nosso querer 




Poetizo palavras como aquelas de outrora 
Cobertas de sentimentos dos pés à cabeça 
Entre as letras, há um verbo que ardente implora 
E vibra, a cada rima que o verso lateja 



E abrem-se as pétalas de tua pele . . . Agora
cubro-te deste amor que floresce em teu ser
atiça-me com tua vontade (o meu verso adora!) 




E minha pele flameja arrepiada a estremecer 
Pois os teus dedos são laços que no poema aflora
O meu verbo implora . . .  Agora . . . O teu querer 




NLC Poesias & Emanuel Angelo

2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Que belo!! Amei
Beijinhos. Bom fim de semana

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Samuel Balbinot disse...

Bom dia poetisa querida..
maravilha ler mais versos teus e de poetas a compartilhar com vc..
quando desejar podes me chamar que faremos mais viu bjs meus