frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 4 de abril de 2017

POEMA DE OUTONO




E o outono então chegou
Sem que por ele eu esperasse
Com um vento gélido me tocou
Fez com que eu procurasse
Entre as folhas caídas do verão
Uns versos que nunca escrevi
Como poemas, espalhados pelo chão
Contendo rimas que nunca vivi.


NLC Poesias

3 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso poema! Adorei

Beijinhos

Escreverati De Luca disse...

O gélido vento amornado pelo sol outonal, deu a seus versos um frescor ímpar... Adoráveis versos!

MarcioBuriti Textos disse...

Bonito, bonito!