frase

Palavra alguma vale o delírio de ser poema sem ser alívio...

terça-feira, 12 de setembro de 2017

ANOITECENDO


Quando eu anoitecer
Serei sol poente apenas
Vou em sonhos adormecer
E transformá-los em poemas.


E ao ficar enluarada
Poderei renascer das águas
E escreverei nas madrugadas
Novos versos de antigas mágoas


E quando a lua bem alta se encontrar
Sentarei num banco apenas observando
Que sua trajetória lá no céu há de cruzar
Com o sol, que outra vez estará despertando


NLC Poesias – Além das siglas

2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Tão bonito!
O meu poema tem precisamente a mesma imagem!
Parabéns

beijinhos

Sonia M.Gonçalves Escritora e Poetisa disse...

Olá Siglas...Vim te ver, matar as saudades...Linda poesia sua poesia da noite!!!Bjs